28/09/2020 às 15h57min - Atualizada em 28/09/2020 às 15h57min

Saúde do idoso: cuidados e desafios para manter a qualidade de vida na terceira idade

ND Online
Divulgação
Estabelecido em 1999 pela Comissão de Educação do Senado Federal, o Dia Nacional do Idoso, comemorado no dia 27 de setembro, é uma data que serve também para pensar sobre a saúde do idoso.

No Brasil, segundo dados apresentados pelo Ministério da Saúde em 2018, a população idosa alcançou 29,3 milhões de pessoas, o que representa 14,3% dos brasileiros.

Santa Catarina atingiu a média de 79,7 anos de longevidade, de acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No país, essa taxa é de 76,3 anos.

Se a expectativa de vida está cada vez mais alta, significa uma melhoria na ampliação do acesso a serviços de saúde, ao avanço tecnológico, a promoção da qualidade de vida, entre outras ações.

Diante disso, a Qualirede, especialista em gestão de saúde, identifica que é fundamental aprimorar serviços de saúde à terceira idade, oferecendo assistência integral à saúde, visando cada vez mais um envelhecimento com qualidade e aumento da expectativa de vida.

Entre os segurados de um dos maiores clientes da Qualirede, por exemplo, 30% possui mais de 60 anos, sendo que comparado aos dados de outras operadoras, esse número gira em torno de apenas 14,6%.

A busca por ajuda profissional
 Uma das maiores dificuldades dos idosos em aceitar a terceira idade é o medo de tornar-se uma pessoa dependente, seja dos familiares ou de mecanismos médicos.

Nesse cenário, a participação e o comprometimento do profissional de saúde quando o idoso busca ajuda é importante para promover a qualidade de vida e postergar limitações do paciente.

Isso significa que a atenção deve ser integral à saúde, com uma abordagem ampla, multiprofissional, focada em prevenção de agravos e incentivo a promoção de saúde, visando todos os aspectos da vida: física, social, espiritual, emocional, profissional e intelectual.

Mantendo os idosos ativos e monitorados
Com o envelhecimento, naturalmente o corpo humano pode ficar mais suscetível a limitações, tanto para atividades físicas, quanto para ações que requerem o uso das funções cognitivas no geral, inclusive a memória.

Segundo Milene Martinez, professora de Educação Física, quando um idoso procura atendimento médico, ele está buscando por cuidados que não se limitam apenas a livrá-lo de um mal-estar momentâneo.

“A busca ocorre para mantê-lo ativo e motivado a alcançar sua própria melhora, além disso, engajar do idoso no tratamento pode evitar possíveis problemas relacionados a saúde mental, aumentando assim as chances de promover uma maior independência e autonomia”, afirma Milene.

Atendimento humanizado
Muitos idosos não gostam sequer de ouvir falar em ir ao médico, mas as consultas são necessárias para manter a saúde em dia. Por isso, a importância de um atendimento humanizado e o fornecimento de serviços de saúde de qualidade.

De acordo com Milene, é importante que o idoso tenha um profissional de referência com quem ele tenha um vínculo, confie e se sinta confortável e acolhido para abordar suas questões de saúde. O médico, por sua vez, precisa sempre conversar com o idoso, fazendo com que ele participe das decisões sobre sua vida.

Milene explica que a interação entre o profissional e a pessoa idosa requer confiança mútua.

“O médico deve ter a sensibilidade de escolher o melhor momento e as palavras adequadas para fornecer as devidas explicações ao paciente idoso, levando em conta o nível da compreensão deste”, aponta.

Segundo Milene, o profissional deve entender que a doença raramente é orgânica, psíquica, social ou familiar, mas simultaneamente todas.

“Cabe ao profissional reconhecer suas próprias limitações, o seu conhecimento e a sua importância na vida do paciente, valorizar sempre a participação dos familiares, para que eles sejam aliados, incentivadores e colaboradores do processo terapêutico”, conclui.

Idoso e a participação ativa na sociedade
Ainda que seja importante, a saúde do idoso vai muito além do que os serviços médicos de qualidade. O idoso também precisa ter sua participação ativa na sociedade estimulada.

Há, inclusive, ações voltadas ao estímulo do idoso na sociedade, que envolvem atividades físicas, como caminhada, ginástica, yoga ou a participação em aulas de canto, artes e instrumentos musicais.

Além de influenciar em uma vida mais ativa, essas atividades colaboram para a inclusão da população idosa e a interação entre as pessoas da mesma idade, o que é essencial na terceira idade, evitando problemas físicos e psicológicos, como a depressão.

Essa participação influencia na própria percepção do idoso como um ser útil na sociedade, e do seu potencial de bem estar físico, social e psicológico.

 Cuidado com quedas
 As quedas em pacientes idosos podem ser mais comuns do que se imagina, até mesmo dentro de casa. Às vezes, pode acontecer por falta de adaptação do espaço ou excesso de obstáculos. Esses acidentes podem levar a limitações que antes não existiam, como fraturas, traumatismo craniano e contusão muscular.

 O Ministério da Saúde lista cuidados para prevenir quedas de idosos. Veja:
Escadas e corredores devem ter corrimão nos dois lados;
Evitar tapetes soltos;
Usar sapatos fechados com solado de borracha;
Colocar tapete antiderrapante no banheiro;
Evitar andar em áreas com piso úmido;
Evitar encerar a casa;
Evitar móveis e objetos espalhados pela casa;
Deixar uma luz acesa à noite, para o caso de precisar se levantar;
Esperar que o ônibus pare completamente para você subir ou descer;
Utilizar sempre a faixa de pedestre;
Se necessário, usar bengalas, muletas ou outros instrumentos de apoio.
Cuidados com a saúde
Higiene corporal: A higiene corporal é um dos principais fatores para a promoção da dignidade da pessoa idosa. Além de promover conforto e bem-estar, está relacionada com o cuidado e até mesmo com a recuperação da saúde.

Cuidados da pele: A pele da pessoa idosa tende a ser mais ressecada que a pele de uma pessoa jovem e requer cuidados especiais.

Alimentação: A alimentação é um dos cuidados com idosos mais essenciais. Com o passar do tempo, problemas com a alimentação podem surgir, como intolerâncias alimentares ou maior sensibilidade a temperos.

Sono: O sono do idoso pode ser bastante delicado, transitando entre muita sonolência e insônia. É preciso avaliar alguma situação entre médico e paciente.

Atividade Física: A atividade física pode ser decisiva para que o idoso tenha mais mobilidade, mais segurança para caminhar e fazer suas atividades sozinho e de forma confiante.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp