22/03/2019 às 08h31min - Atualizada em 22/03/2019 às 08h31min

Polícia Federal assume investigação do assalto ao aeroporto de Blumenau

RIC TV Record

Divulgação
A Polícia Federal será a responsável por investigar o assalto ao aeroporto Quero-Quero em Blumenau. De acordo com uma decisão judicial, todas as informações obtidas pela Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) em Florianópolis, e pela Polícia Civil em Blumenau, serão repassadas para a PF.

A justificativa é que este crime envolve um avião que fazia transporte de valores, além de dois carros fortes.


Três suspeitos já foram presos pela Polícia Militar. Um em Navegantes e outros dois em Gaspar. Após audiência realizada nessa quarta-feira (20), a prisão em flagrante dos três foi convertida em prisão preventiva.

Foram apreendidos com eles também cerca de R$ 18 mil, além de coletes a prova de balas e outros materiais. Segundo a Polícia Civil, com a prisão dessas três pessoas é possível que os outros suspeitos já tenham fugido do Estado.

O crime

O assalto ocorreu há um semana, no dia 14 de março. Foram roubados cerca de R$ 9 milhões e este é considerado um dos maiores assaltos na história de Santa Catarina.

Segundo a polícia, pelo menos oito homens fortemente armados chegaram em dois carros blindados no aeroporto Quero-Quero em Blumenau. Eles atiraram contra um avião e dois carros fortes que faziam transporte de valores. Foram usados fuzis e munições .50, armamentos comuns em guerras e ataques aéreos.

Os tiros passaram pela blindagem dos carros fortes e feriram dois vigilantes.  Uma jovem de 22 anos, que trabalhava numa malharia nas proximidades, foi atingida por uma bala perdida e morreu.

Falsa ambulância usada no assalto circulava na cidade

Uma falsa ambulância foi um dos veículos utilizados pelos assaltantes. Eles teriam utilizado a viatura, com identidade visual similar ao Samu, para transportar os valores.

A polícia descobriu que o veículo, que já foi apreendido, estava circulando na cidade e ficou estacionado pelo menos duas semanas em um terreno no bairro Itoupava Central.

Ambulância ficou pelo menos duas semanas estacionada em terreno no bairro Itoupava Central – Polícia Civil/Divulgação/ND

A proprietária do terreno, Maria de Luz de Lima, informou à polícia que dois homens ofereceram R$ 500 para deixar dois carros estacionados temporariamente, sendo um deles a falsa viatura. O carro ficou estacionado no local por duas semanas.

“Na hora não desconfiei de nada, depois que comecei a pensar e questionei a eles o motivo. Eles explicaram que eram de Itajaí e estavam construindo lá e só precisavam deixaram os veículos aqui temporariamente”, disse a proprietária.

Apesar de ter identidade semelhante à do Samu, a plotagem não tinha o número “192”, e no lugar de “Serviço de Atendimento Móvel de Urgência” estava escrito “Sistema de Atendimento Móvel de Urgência”.

A Policia Civil confirmou que a ambulância estacionada ali era a mesma usada pelos assaltantes. E também que a proprietária do terreno foi enganada por eles.

Além de falsificar a plotagem do veículo, os assaltantes também clonaram a placa de uma viatura de uma empresa de planos de saúde. Depois de duas semanas, quando perceberam que o carro estava chamando atenção, a falsa ambulância foi retirada do local.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »